sábado, 31 de outubro de 2015

BATATINHA ASSADA COM CREME DE GERGELIM E ALHO.


Eu corro de fritura, mas sou louca por batatinha frita. Essa receita é uma alternativa para fazê-la assada, bem mais saudável e crocante. Pode ser feita para o lanche ou servida como aperitivo.

Fiz essas batatas recentemente. A minha intensão inicial era comê-las junto com o marido. Não consegui esperar ele chegar do trabalho... comi praticamente tudo em minutos e quase não deu tempo fotografar! É muita tentação pra uma fã de batatinhas.


Ingredientes para as batatas assadas: (para 2 pessoas)
  • 3 batatas grandes descascadas (se quiser pode deixar a casca);
  • 2 colheres de sopa de maisena; 
  • 3 colheres de sopa de fubá de milho orgânico; 
  • 1 colher de sopa de óleo vegetal; 
  • 1 colher de chá de alho em pó; 
  • sal e pimenta caiena a gosto.
Modo de preparo:
Descasque as batatas. Corte-as em palitos de espessura média. Lave em água corrente e depois seque bem.

Coloque a maisena e o fubá em um prato fundo. Tempere a mistura de farinhas com o alho em pó, sal, pimenta, e se quiser acrescentar algum outro tempero de sua preferência, essa é a hora. Coloque as batatas bem secas na farinha e misture bem para que a mesma grude em cada fatia de batata.

Forre uma assadeira com papel vegetal. Unte levemente o papel com óleo e disponha as batatas lado a lado tendo o cuidado de não colocar uma em cima das outras, pois isso pode fazer com que umas fiquem cruas e outras muito assadas.

Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC para assar. Fique atenta as batatas, para que não assem muito, o ideal é que fiquem crocantes mas não percam a maciez. Enquanto isto prepare o creme.

Ingredientes para o creme:
  • 2 colheres de sopa de óleo de gergelim;
  • 3 colheres de sopa de grão de bico cozido; 
  • 1 colher de sopa de tahine; 
  • 1 colher de sopa de suco de limão; 
  • 1 colher de chá de alho em pó; 
  • 1/2 colher de chá de orégano seco; 
  • água para dar o ponto do molho; 
  • sal a gosto; 
  • pimenta preta a gosto.
Modo de preparo:
Com um liquidificador ou um mix, processe o óleo, o grão de bico, o thaine, o suco de limão, o alho em pó, o orégano, o sal e a pimenta. Acrescente aos poucos a água pra ajudar. Se você quiser que o creme vire um molho, faça esse processo com um liquidificador e adicione mais água. Ajuste o tempero. Cuidado para não colocar muita água.

Dicas:
- Eu molhei um pouco a assadeira antes de colocar o papel vegetal para que o mesmo grudasse e facilitasse meu trabalho na hora de untá-lo.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

FESTIVAL ENOLÓGICO E MUSICAL, LE MILLÉSIME



Já que eu moro na França, um post sobre vinhos! Longe de ser uma grande expert sobre o assunto, achei interessante compartilhar um pouco sobre o que aprendi nesse festival de vinhos. A bebida mais popular na cultura francesa é vendida super barata por aqui. Da mesma forma que você consegue encontrar vinhos de 100 euros até o maior preço que imaginar, facilmente encontrará vinhos de qualidade por 3 euros. Gente, o vinho é a preferência nacional e pode custar mais barato que suco ou refrigerante. Aliás, francês quase não bebe refrigerante.

Há 21 anos o festival enológico e musical Le Millésime acontece em Grenoble e segundo os organizadores, foi o primeiro festival desse tipo na França.

O millésime é o termo aplicado para a colheita da uva destinada a produção de vinho. O ano da colheita permite definir a qualidade do vinho. Importante saber que esse mesmo vinho pode ter um gosto completamente diferente no ano seguinte. O registro sobre o millésime não é uma informação obrigatória em uma embalagem de vinho e na França, para ter-se o direito de informar o ano do millésime existem critérios rigorosos a serem obedecidos.

O tema do festival desse ano, que durou 15 dias, foi Händel e os vinhos Languedoc. Georg Friedrich Händel foi um compositor alemão, naturalizado como cidadão britânico. Vindo de uma família de origem luterana, foi o criador da famosa oratória "O Messias", a qual gira em torno de Jesus Cristo, sua vinda como profeta, nascimento, morte e ascensão. Você talvez já tenha ouvido uma parte dela, a tão conhecido "Aleluia de Handel" muito interpretada em igrejas na época do Natal. Já Languedoc, é uma região conhecida por numerosos enófilos como sendo a nova Eldorado dos vinhos franceses.

O festival contou com inúmeros concertos musicais, ateliês com renomados sommeliers, enólogos, empresários do setor de vinho, degustação de queijos, frutos do mar, charcuterie, doces típicos franceses e claro, vinhos.
Charcuterie
Nós tivemos a oportunidade de participar de um ateliê com a enóloga Alice Riffard e o sommelier Cédric Groussard sobre iniciação à degustação. Foi falado sobre como degustar vinhos brancos e tintos, como qualificá-los, aromatização do vinho, cores, conservação e teve também degustação prática dos vinhos.

Aromas
Coloração dos vinhos
Esses tubos de vidros que vocês estão vendo ao lado, foram colocados para mostrar de forma separada as famílias aromáticas dos vinhos e suas cores. Tubos com aromas florais, frutais, animais, especiarias, frutas secas, mel, chocolates entre outros. E como sentir o aroma? Colocando o nariz na entrada do tubo. Os aromas são naturalmente presentes nos vários tipos de uvas, em particular na pele. Eles se formam e se desenvolvem durante o processo de maceração, fermentação alcoólica e metabólica nos barris de vinho e quando engarrafados, passando por processos químicos complexos. Vinhos de qualidade podem conter centenas de aromas diferentes.

Mais e a degustação? Em matéria de vinhos, a degustação não é sinônimo de beber. Tem a ver com a estimulação de quase todos os sentidos: visão, olfato, paladar e tato. Ela é uma análise sobre a bebida. Analisa-se cor, aromas, sabores, texturas e algumas vezes o millésime ou origem. É uma questão de prática, experiência e memória.

Vamos  aos passos :
"La robe du vin", expressão francesa utilizada para falar sobre a análise visual do vinho, nos passará informações sobre a nuance da coloração, assim como a intensidade e a limpidez do vinho. A técnica é a seguinte: encher um terço da taça, incliná-la e observá-la contraposta a um fundo branco ou luminoso. Sempre pegando pela haste da taça ou pela base, nunca, nunquinha no copo em si, pois isso vai alterar a temperatura do vinho.

A coloração do vinho pode mostrar a idade dele. O vinho branco normalmente tem uma coloração amarelada. Quanto ao vinho tinto, a cor vermelho intenso é a cor básica. Há um ponto de convergência entre os vinhos no que tange a coloração ao longo do tempo. Os vinhos têm tendência a evoluir para a cor âmbar, não importando se é branco, rosé, tinto, espumante ou fortificado. Sendo assim, os escuros tendem a clarear com o tempo e os claros a escurecer. Ao chegar na cor âmbar, em geral o vinho passou do seu momento ideal para consumo.

"Le nez", que quer dizer literalmente "o nariz", é uma expressão usada para falar do exame olfativo. Essa parte é dividida em duas etapas. O premier nez (primeiro nariz): Leve o copo ao nariz. É sim, pode levar sem medo! Inspire profundamente para descobrir os aromas e eventuais defeitos. Agora vamos para a segunda etapa, deuxième nez (segundo nariz) : Agite o copo de vinho afim de oxigená-lo, inspire novamente para constatar a evolução dos aromas e a intensidade. Pronto, formidável, agora você sabe porque vê as pessoas balançando o copo de vinho! Tudo tem uma porque nessa vida, mesmo que a gente não saiba! ;)

"La bouche", que significa "a boca", é usada para análise gustativa. Essa por sua vez é feita em três etapas: O ataque, a evolução e o final. A primeira consiste em levar o vinho à boca, verificar se é doce, suave, seco, ácido... A segunda é a evolução do vinho na boca, franza os lábios, inspire o ar por entre eles e por cima da língua, isso vai fazer com que o ar passe pelo vinho, libere os compostos voláteis e você possa senti-lo melhor. A terceira e última etapa são as percepções finais que você terá, antes de deglutir o vinho ou ejetá-lo.

A última informação que eu acho interessante passar é sobre a temperatura do vinho. A temperatura ideal para servir um vinho tinto é de 13 a 15 ºC e um vinho branco entre 7 a 11 ºC . Isso varia de acordo com o tipo de vinho e idade.

Deixo vocês com mais algumas fotos do evento.

Concerto da manhã


Estande de queijos


Estande de frutos do mar - Ostras


                                                          





terça-feira, 27 de outubro de 2015

FRANGO COM AGRUMES


Na minha última ida ao supermercado resolvi comprar umas sobre-coxas de frango que estavam com um precinho camarada e testar essa receita que leva o nome de Frango com Agrumes. O nome desse prato se deve ao fato dele conter limões sicilianos e casca de laranja. A palavra "agrume" em francês, vem do latim "agrumen", que por sua vez quer dizer azedo, ácido.

Esse é um prato que definitivamente vai entrar pro cardápio das nossas noites de sexta e sábado, pois é barato, simples e rápido!

Aqui na França sair pra comer fora é caro, então nós temos o hábito de convidar os amigos chez nous, pra passar o tempo juntos. Conversando com um francesa que mora na Suíça, mãe de um amigo nosso, ela me explicou que lá eles também fazem isso, pois os restaurantes são ainda mais caros que na França. Receber da trabalho sim, ainda mais quando não há alguém pra te auxiliar em casa, o que normalmente é o caso por aqui. Para eles é uma coisa que é reservada aos amigos mais íntimos. É muito bom ter as pessoas que a gente gosta por perto e no aconchego do nosso lar.

Acredito que no Brasil as idas aos restaurantes estejam ficando cada vez mais caras também. Encorajo vocês a tentarem fazer mais soirées caseiras. Não precisa ter talheres chiques, taças caríssimas ou um apartamento luxuoso. O intuito não é ostentar, é se divertir, comer uma comidinha feita em casa e partilhar um bom momento com os amigos. Então chama aí aqueles teus amigos mais chegados que irmãos pra tua casa e have fun!

Vamos a receita!

Ingredientes: (para 4 pessoas)
  • 4 coxas com sobrecoxas de frango;
  • 1/4 de xícara de azeite de oliva;
  • 4 dentes de alho grandes esmagados;
  • 1 colher de sopa de mel;
  • 2 limões sicilianos; (um para fazer suco e o outro para fatiar)
  • casca de 1/2 laranja; 
  • 1/2 colher de sopa de páprica doce;
  • 1/4 de colher de sopa de pimenta d'espelette; (se você não achar, pode substituir por pimenta calabresa)
  • tomilho desidratado;
  • alecrim desidratado;
  • sal;
  • pimenta preta moída na hora;
  • uma cebola cortada em rodelas.
Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno em temperatura alta. Em um bowl misture o azeite, o alho, o suco de um limão, o mel, a páprica, a pimenta d'espelette, o tomilho, o alecrim e o sal.

Coloque o frango com a parte da pele virada para cima em um refratário, regue-o com a mistura de azeite e especiarias, de forma que todo o frango seja contemplado com o molho. Corte o outro limão que sobrou, a casca da laranja, a cebola em fatias e distribua no frango. Não coloque somente sobre o frango, mas também entre os pedaços. Salpique generosamente mais alecrim e a pimenta preta moída na hora sobre o frango.

Leve ao forno por cerca de uma hora ou até seu frango assar.

Bon appétit !

Dicas:
- Você pode deixar o frango marinando algumas horas antes de por no forno, caso tenha tempo.
- Não despreze o molho após tirar o frango do forno, utilize pra regar o frango na hora de servir. 

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

SUCO DE UVA, MAÇÃ E GENGIBRE


Setembro e outubro são os meses em que encontramos as uvas mais docinhas por aqui. Nunca vou esquecer a primeira vez que comi uva aqui na França, parecia que tinha açúcar dentro! Da mesma forma a primeira vez que comi clémentine, uma espécie de tangerina pequenininha sem caroço, outro mel na minha vida. Pois bem, durante esses dois meses, toda vez que vou ao supermercado encho meu carrinho das mais variadas uvas e todas as frutas e legumes da estação porque são mais baratos e saborosos.

Essa semana estou sozinha em casa, o marido viajou a trabalho e no fim de semana vamos viajar pra nos encontrar com meu cunhado e a esposa. Resultado, estou desesperadamente tentando esvaziar a geladeira para não estragar nada.  Eu tinha uvinhas bem docinhas, gengibre e suco natural de maçã. Consegui um suco super refrescante e saudável! Vale a pena fazer!

Sempre procuro ter gengibre em casa, já li que ele tem propriedades anti-iflamatórias então normalmente pra quem tem enxaqueca é super indicado. Gengibre no chá, gengibre no frango, gengibre na sopa, gengibre no suco, gengibre everywhere!

Vamos a receita.

Ingredientes: 
  • 10 uvas itália sem caroço;
  • 10 uvas rubi sem caroço;
  • 1 rodela fina de gengibre;
  • 150 ml de suco natural de maçã.
Modo de preparo:
Bata no liquidificador ou no mix todos os ingredientes  e está pronto!


Dicas:
- Se quiser adicionar 2 cubinhos de gelo, tá valendo!
- Tente escolher as uvas mais doces que puder, dessa forma é desnecessário colocar açúcar.

- Você consegue o suco natural da maçã passando a fruta na centrífuga. Não desperdice o bagaço, faça cookies com eles. 
-Eu não coei, mas se você preferir, faça-o.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

LASANHA BOLONHESA DE BERINGELA




Hoje eu estava querendo fazer algo diferente pro almoço, simples e gostoso.  Sem queijo, sem creme de leite, sem molhos gordurosos e sem glúten. Esse está sendo o meu lema de cada dia, descobrir novos pratos e que se adéquem às restrições alimentares da minha família (nada de leite, derivados e glúten), sem abrir mão do prazer de comer bem! A gente pode sim comer bem e comer saudável!

Você sabia que a berinjela é um fruto originário da Índia? Ela é um vegetal com alto teor de água, é rica em fibras, sais minerais (cálcio, fósforo, potássio e magnésio) e vitaminas. Que tal fazer uma troca vantajosa da massa tradicional por ela? Então se você estiver a fim de comer uma lasanha apetitosa e saudável, a sugestão de hoje é Lasanha à Bolonhesa de berinjela!


Ingredientes: (para 2 pessoas)
  • 350 g de carne moída ligth; (quem estiver na França, pode comprar o bouef haché 5% de matière grasse)
  • 50 g de bacon cortados em cubinhos; (opcional)
  • 1 cebola grande; 
  • ½ colher de sopa de óleo; 
  • 300 g de tomates pelados concassées; (veja a dica de como fazê-lo em casa no fim da receita)
  • 1 berinjela grande; 
  • 200 ml de creme de coco; ( se você não achar o creme de coco, pode substituí-lo pelo leite de coco mais cremoso  que achar)
  • noz moscada; 
  • pimenta preta; 
  • orégano; 
  • sal. 


Modo de preparo:
Vamos começar pelo molho à bolonhesa: em uma panela antiaderente refolgue no óleo a cebola picada, acrescente o bacon, a carne moída, o alho, tempere com sal e pimenta preta moída na hora. Refolgue até a carne ficar bem frita. Adicione os tomates pelados concassées e deixe cozinhando até ficar bem grosso. Reserve.

Corte a berinjela no sentido longitudinal na espessura que preferir (quanto mais finas, mais camadas sua lasanha terá). Coloque as fatias imersas em água gelada com sal por 15 minutos, isso vai tirar o sabor amargo da berinjela.

Tempere o creme de coco com o sal e a noz moscada a gosto.

No fundo de um refratário médio, coloque um pouco do molho à bolonhesa. Em seguida, distribua uma camada de berinjela, jogue mais molho à bolonhesa por cima e depois o creme de coco temperado. Faça quantas camadas quiser e termine com uma camada do molho de carne e de creme de coco.

Polvilhe pimenta preta e orégano no topo.

Leve pra assar em forno pré-aquecido à 200 °C por mais ou menos 35 minutos.



Dicas:
- Não encha o refratário até a borda, pois no cozimento o creme de coco ferve. Isso evitará de sujar seu forno.


-  A palavra concassé vem do francês e significa esmagado, triturado. Tomates concassées são simplesmente o tomate sem pele e sem sementes. Estes fazem com que o tomate fique ácido. A técnica para retirar a pele é a seguinte: deixe água fervendo em uma panela  enquanto preparar os tomates e uma tigela funda de água bem gelada esperando. Retire a "tampa" do tomate, onde era o lugar do caule e na outra extremidade faça um "X"  com uma faca, para auxiliar na hora da retirada da pele. Coloque os tomates na água fervente um a um e deixe por mais ou menos 15 segundos, esse tempo dependerá da "maturidade" do tomate. Depois coloque-os imersos na tigela de água gelada, o choque térmico vai parar o cozimento. Com o auxilio de uma faca comece a retirar a pele dos tomates. Depois é só abrir, retirar as sementes e picar os tomates. 

- Essa receita também pode ser feita com abobrinhas. Corte-as ao comprimento, coloque as fatias imersas em água gelada com sal e deixe-as de molho por 20 minutos. Depois, escorra e seque-as com um papel toalha, elas soltarão um pouco de água e a lasanha ficará mais sequinha.


sexta-feira, 16 de outubro de 2015

PUDIM SEM LEITE, SEM GLÚTEN E SEM SOJA !!!

Há dias meu marido pede que eu faça pudim de leite, uma de suas sobremesas preferidas. Mas a vontade de fazer  pudim pra uma pessoa me fazia procrastinar esse dia. Finalmente decidi fazê-lo e tive a ideia de pesquisar receitas sem lactose. O problema é que a grande maioria das pessoas utiliza a soja como substituto do leite e eu não posso comer soja também. Depois de muito procurar, encontrei uma receita que se adequasse as minhas mazelas alimentares. :-)

Lá fui eu, quebrar os ovos, peneirar as gemas, etc, etc. Na hora de acrescentar o resto dos ingredientes, pra minha surpresa e desespero, faltou ingrediente. Me vi com 6 ovos organicos já estrelados e sem querer sair de casa pra comprar o que faltava - nesse frio de 6ºC, simplesmente tenho preguicite aguda de sair. Foi então que eu tive a ideia de fazer o que eu sempre faço... Alterar a receita! E posso falar? Deu super certo! Saiu um pudim delicioso sem leite, sem glúten e sem soja!

Ingredientes: 
  • 6 ovos;
  • 200 ml de leite de coco;
  • 200 ml de leite de amêndoas; 
  • 1 xícara de chá rasa de açúcar;
  • 1 pitada de sal;
  • aproximadamente 1 xícara de chá de açúcar para a calda + 1/4 de xícara de chá de água quente.

Modo de preparo:
Comece pela calda, porque o açúcar demora a derreter. Coloque o açúcar em uma forma para pudim e leve ao fogo baixo, deixando o açúcar caramelizar. Assim que dourar, acrescente a água quente e mexa. Gire a forma para poder espalhar por ela toda o açúcar que virou caramelo.

Peneire todas a gemas. Esse processo deve imperativamente ser feito para que o pudim não fique com aquele cheiro e gostinho de ovo. Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem. Despeje o conteúdo liquido na forma para assar, em banho-maria, em forno pré-aquecido à 180º C. Não precisa cobrir.

Meu pudim ficou pronto em 45 minutos, dependendo do seu forno, o tempo vai mudar. Faço o bom e velho teste do palitinho, se após enfiá-lo ele sair sequinho, voilà, está pronto.


Dicas:
- Desenforme quando estiver totalmente frio, se puder deixe de um dia para o outro na geladeira. 

Antes de tirar da forma, aqueça o fundo dela no fogo, para ajudar a descolar o pudim.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

FRANGO RÁPIDO AO CURRY



Essa receita de frango ao curry é rápida, fácil e saborosa. Ideal para os dias em que você está apressado(a), cansado(a)... mas gourmand!
O curry é uma mistura de especiarias muito utilizada na culinária indiana e apreciada em muitos países europeus. Normalmente é composto por cúrcuma, grãos de coentro, grãos de mostarda, gengibre, alho desidratado, erva-doce, cardamomo, canela e pimenta vermelha. Viu como ele é um ingrediente rico? Se você não conhece, vale a pena experimentar.


Ingredientes: (para 3 pessoas)
  • 3 colheres de sopa de azeite de oliva;
  • 1 cebola cortada em tirinhas finas;
  • 1 colher de sopa rasa de curry;
  • 2 peitos de frango cortados em tiras (400 g);
  • 200 g de tomates pelados concassées;
  • 200 g de brócolis; (separe os bouquets e corte em tirinhas)
  • 100 ml de leite de coco;
  • sal;
  • pimenta moída.

Modo de preparo:
Aqueça o óleo em uma caçarola antiaderente de bordas alta. Refolgue a cebola por 3 minutos. Junte o curry e refolgue por mais 1 minuto.

Acrescente o frango, os tomates, o brócolis e o leite de coco. Deixe levantar fervura, cubra a panela e deixe cozinhando em média por 30 minutos em fogo brando.

Retire a caçarola do fogo, salgue e apimente a gosto.

Dicas:
-  Não despreze os talos do brócolis, esse legume é rico em cálcio. Congele-os e utilize posteriormente para fazer seu caldo caseiro de legumes, frango ou carne. Muito mais saudável que  cubinhos industrializados cheios de glutamato monossódico. Aliás, caldos caseiros tema de novo post! 

domingo, 11 de outubro de 2015

SALADA GREGA



Voici la salade grecque, que em grego significa "salada campestre". Há algumas variaçōes dessa salada que levam alcaparras, orégano e azeitona verde. Ela é bem colorida e refrescante. Originalmente é feita com queijo feta, mas se você tiver dificuldade de achá-lo pode substituí-lo por queijo minas ou queijo coalho. Vai mudar o sabor? Claro, mas continuará muito boa.

Ingredientes: (para 4 pessoas)
  • ½ pepino (se preferir retire a casca);
  • 4 tomates roma (mais conhecido como tomate italiano no Brasil). Pode ser substituído por tomates cerejas;
  • 1 pimentão vermelho;
  • 1/2 cebola roxa finamente fatiada;
  • 10 azeitonas pretas sem caroços;
  • 100 g de queijo feta;
  • pimenta preta;
  • azeite extra virgem;
  • salsinha fresca;
  • sal.

Modo de preparo:
Corte o pepino em pedaços grossos de 1 a 2 cm. Corte o pimentão em dois, retire as sementes, as membranas brancas e depois corte-o em fatias finas. Corte também a cebola em fatias finas (quanto mais finas, mais suave será o sabor). Coloque todos os legumes em uma saladeira e acrescente as azeitonas.

Prepare o tempero misturando o azeite, a pimenta moída na hora, o sal e a salsinha fresca picada.

Derrame o molho dos temperos sobre a salada e mexa delicadamente. Corte em pedaços pequenos o queijo feta e jogue por cima da salada.

Dicas:
-  Ferva água suficiente para cobrir as cebolas fatiadas. Após a água levantar fervura acrescente as cebolas, mexa por 15 segundos, desligue o fogo, escorra e coloque-as imersas em água bem gelada. O choque térmico tira a acidez da cebola e a mantêm crocante.

- Antes de servir a salada deixe-a na geladeira por 1 hora. Isto fará com que os temperos penetrem na salada, dando mais sabor.